Testo Meu Pai Oxalá

Testo Meu Pai Oxalá

Atotô Baluaê, atotô babá
Atotô Baluaê, atotô babá

Vem das águas, de Oxalá
Dessa a mágoa que me dá
Ela aparecia o dia
Ao romper da escuridão,
linda no seu manto todo branco em meio a procissão,
E eu que ela nem via ao Deus pedia amor e proteção

Meu Pai Oxalá é o rei venha me valer
Meu Pai Oxalá é o rei venha me valer
O velho Omulu, Atotô Baluaê
O velho Omulu, Atotô Baluaê

Meu Pai Oxalá é o rei venha me valer
Meu Pai Oxalá é o rei venha me valer
O velho Omulu, Atotô Baluaê
O velho Omulu, Atotô Baluaê

Que vontade de chorar,
no terreiro de Oxalá,
quando eu dei com a minha ingrata, que era filha de Iansã,
com a sua espada cor de prata em meio a multidão,
cercando Xangô num balanceio cheio de paixão

Meu Pai Oxalá é o rei venha me valer
Meu Pai Oxalá é o rei venha me valer
O velho Omulu, Atotô Baluaê
O velho Omulu, Atotô Baluaê

Meu Pai Oxalá é o rei venha me valer
Meu Pai Oxalá é o rei venha me valer
O velho Omulu, Atotô Baluaê
O velho Omulu, Atotô Baluaê

Atotô Baluaê, atotô babá
Atotô Baluaê, atotô babá

Atotô Baluaê, atotô babá
Atotô Baluaê, atotô babá

Guarda il video di Meu Pai Oxalá

Meu Pai Oxalá videoplay video
Testi di Maria Creuza, Toquinho & Vinícius de Moraes